Marquinhos aposta em produtividade para melhorar atendimento nas unidades de saúde

Marquinhos aposta em produtividade para melhorar atendimento nas unidades de saúde

Para aperfeiçoar o atendimento nos postos de saúde da capital, o prefeito de Campo Grande Marcos Trad (PSD-MS), aposta no projeto de lei que estipula metas de produtividade para médicos das redes de Atenção Especializada e Psicossocial, para melhorar o atendimento nas unidades de saúde do município. O texto do projeto de lei chegou a Câmara dos Vereadores na última segunda-feira (24.06).


 O texto altera o regime jurídico único dos servidores públicos, acrescentando “sistemática de metas de atendimento” para os médicos atuantes nas redes, independentemente do vínculo de trabalho. A medida visa melhorar a qualidade do serviço público de saúde do município com a instituição das ''metas de atendimento''.

Conforme o projeto, só ficam de fora os médicos ocupantes de cargo em comissão ou designados para desempenhar função de confiança, porque têm carga diferenciada. As mudanças previstas não valem para atendimento básico e de urgência e emergência.


“Nós estamos ouvindo as pessoas, buscando alternativas. Nós colocamos o ponto digital, nós colocamos a inversão do horário e a extensão, na hora do almoço não abria e nós abrimos, nós demos estrutura material em todas as unidades, todo o almoxarifado está lotado de remédio, os médicos estão em ambientes melhores, então, nós estamos nos esforçando o máximo possível”, afirmou o prefeito.


O projeto ainda cita que serão acompanhados, por exemplo, o número de vagas ofertadas para consultas e exames por cada profissional, bem como a "proporção a ser observada entre vagas de retorno e primeira consulta".


As metas de produtividade serão objeto de reavaliação periódica. O texto do projeto de lei prevê ainda que os médicos possam cumprir as metas, inclusive, em jornada menor que a estabelecida, mas desde que cumpram, no mínimo 50% da carga horária e com resolutividade comprovada.


Comentários