Sumiço de dinheiro de idosa leva OAB a cassar registro de Bernal.

Sumiço de dinheiro de idosa leva OAB a cassar registro de Bernal.

Acusado de se apropriar da indenização recebida por sua cliente, o ex-prefeito de Campo Grande Alcides Bernal está impedido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) de exercer a advocacia. O acórdão da Comissão de Ética da OAB é do fim do ano passado, e os efeitos da decisão permanecerão até que o ex-prefeito de Campo Grande preste contas dos valores recebidos e, conforme acusação, não repassados a sua cliente.


O processo que tramitou em sigilo na Ordem dos Advogados do Brasil já transitou em julgado. A cliente em questão é a ex-catadora de material reciclável Dilá Dirce de Souza. Bernal, advogado dela, foi acusado de apropriar-se de sessenta salários mínimos (R$ 159,3 mil, em valores corrigidos), indenização que deveria ser destinada à catadora.


O caso foi denunciado pelo Correio do Estado em setembro de 2013. Dilá foi atropelada por um caminhão de lixo, em 14 de junho de 1999. Bernal foi advogado de Dilá no processo em que ela pediu indenização à concessionária de coleta de lixo da época e também o pagamento de pensão vitalícia: ela ficou impossibilitada de trabalhar depois do acidente.


Durante o julgamento na Comissão de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil, Alcides Bernal viu seu advogado desistir de sua defesa. A ordem nomeou um advogado dativo, para que ele não continuasse sem defesa no processo. Depois da publicação da decisão, o ex-prefeito não ajuizou recurso algum quando ainda era possível. Agora, só terá o direito de voltar a advogar novamente se explicar o que de fato houve com os valores que não foram repassados à Dilá Dirce.


Comentários