Prefeitura de Campo Grande recebe doação e crianças têm sábado especial com brinquedos novos.

Prefeitura de Campo Grande recebe doação e crianças têm sábado especial com brinquedos novos.

Crianças e adolescentes assistidos pela Prefeitura de Campo Grande, por meio das Unidades de Acolhimento Institucionais, tiveram uma manhã diferente neste sábado (28), quando receberam um gesto de solidariedade vindo de uma empresa parceria do Município, que desenvolve atividades comerciais na Capital. No ano em que a Ri Happy, loja de brinquedos, completa 30 anos, ela decidiu presentear quem mais precisa de um gesto de amor.


Acompanhado da vice-prefeita Adriane Lopes e do secretário municipal de Assistência Social José Mário Antunes, o ‘solzinho’ fez a entrega dos brinquedos durante as atividades do projeto Sonho de Campeão, que oferece durante todas as manhãs de sábado no Centro Municipal de Treinamento Esportivo (Cemte), no Carandá Bosque, um momento de esporte e lazer às crianças das unidades de acolhimento.


Emocionada com a iniciativa da empresa parceira, Adriane falou do significado desse gesto para os pequenos. “Essas crianças estão aqui aos sábados ra participar de atividades esportivas, mas hoje estão recebendo uma visita muito especial, da equipe da Ri Happy, que traz junto com esses brinquedos, um pouquinho de amor para essas pessoas acolhidas pelo município. Para eles significa muito. Com esses presentes essas crianças e adolescentes vão passar o fim de semana tão entretidas e contentes que o tempo vai passar sem que elas notem, porque brincar é essencial à vida. É muito legal quando a gente encontra parceiros com essa vontade de somar para a felicidade do próximo”, agradeceu a vice-prefeita.


A gerente da loja Ri Happy, Márcia Dias Vilela, explica que em 2018 a marca completa 30 anos e realiza uma campanha do Aniversário Solidário para celebrar a data. Cada loja vai ajudar uma instituição da sua respectiva região com a doação de brinquedos. E a loja do Shopping Norte Sul, escolheu as Unidades de Acolhimento Institucional do Municipio – UAI´s..


marcia


“A Ri Happy todos os anos faz essa ação. O aniversário é do solzinho, porém quem ganha os presentes são as instituições que assistem as crianças. O maior foco da empresa é cultivar o brincar. Brincar faz bem e nos torna pessoas mais felizes. Cada loja tem a liberdade de escolher uma instituição para fazer a doação. Geralmente procuramos aquelas que já conhecemos por serem mais divulgadas. Mas dessa vez nos indicaram as UAI’s, que pela situação especial na qual essas crianças se encontram sabemos que o acesso é um pouco mais delicado e precisa ser feito com muita responsabilidade. Ficamos sabendo desse trabalho maravilhoso do município e hoje estamos aqui, muito felizes por estar trazendo um gesto que realmente fará a diferença na vida dessas crianças e adolescentes. A satisfação é enorme em participar desse momento”, disse Márcia.


@11


As Unidades de Acolhimento I, II, III e IV envolvem crianças e adolescentes, de ambos os sexos, com faixa etária de 0 a 17 anos e 11 meses, que se encontram em situação de abandono, ameaça ou violação de direitos e em situação de risco pessoal ou social, cujas famílias ou responsáveis encontram-se temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção.


Dentre a finalidade de garantir a proteção e assegurar a integridade física de crianças e adolescentes, as Unidades de Acolhimento têm como princípio oferecer o acolhimento num ambiente afetuoso, educacional, social e facilitador de ações promotoras para o desenvolvimento saudável, bem como atender as necessidades básicas de alimentação, higienização, saúde, vestuário, moradia e segurança.


Como sujeito de direitos em condições peculiares de desenvolvimento integral, crianças e adolescentes têm no esporte e na recreação um espaço que propicia a construção da identidade, o desenvolvimento de habilidades, potencialidades que direcionem o alcance dos sonhos e novas perspectivas futuras.


As Unidades envolvidas no Projeto são subordinadas à Superintendência de Proteção Social Especial da SAS, promovendo em conjunto com outras Políticas Públicas a intersetorialidade que compõem o Sistema de Garantia de Direitos, bem como suscitar o fortalecimento da Rede de Proteção.


O secretário de Assistência Social ressalta que a atual administração municipal tem tratado essas unidades de maneira mais humanizada. “Essas crianças e adolescentes já foram privadas de tantos de seus direitos que, quando assumimos essas unidades decidimos que cada uma delas precisaria se tornar de fato num ambiente residencial, buscando ao máximo oferecer a elas uma rotina normal de vida, muito embora saibamos que o afastamento do convívio familiar é muito difícil para cada uma.


@9


Mas fazendo a nossa parte estamos transformando esses locais em lares mais confortáveis e melhorando o ambiente. Nessas unidades elas encontram todo o suporte que uma casa precisa oferecer, inclusive com transporte para as escolas. E, ainda, estamos conseguindo inserí-las em atividades esportivas e recreativas fora das unidades, para que elas tenham uma rotina ainda mais saudável”, justifica o titular da SAS.


Comentários