O declínio da candidatura do Juiz Odilon aliado de Ciro Gomes ex-ministro de Lula.

O declínio da candidatura do Juiz Odilon aliado de Ciro Gomes ex-ministro de Lula.

O candidato a Governo do Mato Grosso do Sul pelo PDT o Juiz Federal Odilon de Oliveira, tem sido constantemente ‘atacado’ por mídias, blog e pelo empresário Eduardo Bottura. No dia 29, a página de Facebook chamada Brasil Verdade, fez outra acusação ligando a imagem de Odilon.
No post a página diz que à uma suposta investigação para onde teriam ido parar mais de 6 milhões em dólares e reais que sumiram da Terceira Vara Federal da Justiça Federal de Campo Grande. O dinheiro estava sob os cuidados do titular pasta, Juiz federal Odilon de Oliveira. Parte desse dinheiro havia sumido há quase 10 anos, mas só recentemente havia sido descoberto. O acusado de se apropriar do dinheiro é Jedeão de Oliveira, assessor de confiança do juiz Odilon, responsável inclusive em redigir muitos processos que levaram a condenação de vários traficantes. Segundo a página o processo corre em segredo de Justiça e em breve pode revelar um verdadeiro escândalo no Judiciário Brasileiro.


VEJA NA ÍNTEGRA: 



A matéria jornalistica de Site Nacional, confirma a notícia da página Brasil Verdade, Veja o link:


https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/ex-diretor-de-vara-de-lavagem-vira-reu-por-26-desvios-de-dinheiro/


No site Jornal da Cidade on line, em matéria publicada na semana do ocorrido, matéria destaca que Eduardo Botura tem se tornado um dos maiores críticos quanto a candidatura do juiz Odilon de Oliveira mostrando que ele não representa o “novo” nem mesmo empunha, depois das revelações, a figura de um juiz imparcial e e galgado na Justiça plena.



“O empresário tem questionado o caráter e a propalada honradez do juiz aposentado, inclusive fazendo postagens e questionamentos sobre sua ligação com o jogo do bicho no Estado”.


Bastante popular e conhecido por suas denuncias, Botura tem atualmente mais de 50 mil seguidores nas redes sociais e suas publicações tomam uma velocidade impressionante em suas divulgações.


Não apenas com supostas denuncias, Bottura desafia o juiz Odilon a processá-lo. O desafio foi feito por meio de sua rede social. Segue o desafio:



Odilon também orquestrou uma onda de mais de setenta processos contra jornais, blogs,


jornalistas, paginas de facebook, grupos de compra e venda e até perfis pessoais. Ação
que não teve êxito já que o Juiz responsável pelo caso deu o favorecer aos
processados.


De acordo com a representação, a queixa do juiz tem como objetivo “estancar a pré-campanha difamatória contra o filiado ao partido representante Odilon de Oliveira, pré-candidato ao governo do Estado de Mato Grosso do Sul, através de sites fakes [palavra inglesa que significa falso ou falsificação], em que denigrem a imagem do pré-candidato”.


A apelação do juiz aposentado atinge os sites Republicano, MS News, A Manchete, Diário Patriota, 19, É o Mundo, Morena News, Francisco Henrique Portilho Coene, Antônio Fabiano Portilho Coene, Fabrizio Portilho Coene, Luiz Eduardo Auricchio Bottura e Facebook Serviços Online do Brasil Ltda.


Na representação de 26 páginas, Odilon de Oliveira cita uma pesquisa eleitoral que o indica como o primeiro na corrida eleitoral pelo governo de MS.


“A forte adesão política que o juiz aposentado tem recebido desencadeou também em proporção até superior, à detração de pessoas que veem na possível ascensão do mesmo ao governo como preocupação por conta de seus interesses e por saberem que o magistrado terá mão firme contra a corrupção, assim como o fez na sua profissão”, diz a petição do magistrado aposentado, que completou:


“Assim, foi organizado uma espécie de “cartel de sites fakes” com o objetivo único de denegrir a imagem do pré-candidato, bem como de seus correligionários, como demonstra vários links acostados nesta inicial. Esses sites formaram um sistema de ataques que são retirados do ar logo à frente, com o objetivo claro de não serem alvos de possíveis ações judiciais”.


Na petição, assinada por João Paulo Sales Delmondes, Osmar Cozzatti Neto, Yves Drosghic e Eduardo Pereira Brandão Filho, advogados de Odilon de Oliveira, é citado um artigo que justificaria pressa no amparo judicial desejado pelo juiz aposentado.


Mas o que fica no ar, porque o candidato a Governo não se explica ou faz um vídeo
resposta em relação as denuncias que são feitas ao mesmo? No lugar de enviar
processos numa tentativa desesperada de censura, porque não enviar respostas?


A QUEDA


Segundo os números da Ranking Comunicação e Pesquisa, na consulta espontânea o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT), que desde o ano passado vinha liderando todas as amostragens, caiu do primeiro para o terceiro lugar, ultrapassado pelo presidiário André Puccinelli (MDB) e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que disputavam a ponta com índices de empate técnico.


A Ranking Comunicação e Pesquisa consultou 1.200 eleitores (as) a partir dos 16 anos de idade (52,10% do sexo feminino e 47,9% do sexo masculino) em 30 municípios no período de 14 a 19 do mês de julho 2018. Os registros na Justiça Eleitoral são: MS-05306/2018 e BR-02443/2018. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro estimada é de 2,8 pontos percentuais para mais ou para menos.


Com 15,25% das intenções de voto, o ex-governador emedebista tem uma preferência menor que dois pontos sobre o tucano, que foi citado por 13,50%, enquanto o pedetista aparece com 11,17%. O quarto colocado é o ex-deputado Coronel David (PSL), com 1,33%. O ex-prefeito petista Humberto Amaducci está com 0,42% e o advogado João Alfredo (PSOL) 0,25%. É de 58,08% o total de eleitores que não sabem ou não responderam a este quesito da entrevista.


Na consulta estimulada, Puccinelli (27,17%) e Azambuja (26,08%) encontram-se ainda mais emparelhados, mas com um diferencial: não se descolam de Odilon, que com 24,58% demonstra fôlego para brigar pelo retorno à liderança. Coronel Davi (2,50%), Amaducci (0,83%) e João Alfredo (0,75%). Os que não sabem ou não responderam somam 18,09%.


REJEIÇÃO – Novo líder nas intenções de voto, Puccinelli continua como pré-candidato com a maior rejeição: 23,83%, seguido por Azambuja (17,50%). O terceiro é Odilon, com uma taxa de 7,75%. Foram citados com índices menores Coronel David (5,67%), Humberto Amaducci (3,25%) e João Alfredo (3,17%). O grupo dos que não sabem ou não responderam a esse item da pesquisa abriga 38,83% do eleitorado.


A amostragem tem como responsável técnico o estatístico Augusto da Silva Rocha (Conre 3ª região n° 7655). O levantamento foi feito nos seguintes municípios; Campo Grande, Sidrolândia, Maracaju, Itaporã, Dourados, Ponta Porã, Amambai, Caarapó, Naviraí, Ivinhema, Nova Andradina, Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante, Corumbá, Ladário, Miranda, Aquidauana, Anastácio, Terenos, São Gabriel do Oeste, Rio Verde, Coxim, Camapuã, Chapadão do Sul, Cassilândia, Paranaíba, Aparecida do Taboado, Três Lagoas, Água Clara e Ribas do Rio Pardo.


Fonte: Éomundo


Comentários