Juiz Odilon faz reunião para 1000 pessoas, mas somente 60 eleitores aparecem.

Juiz Odilon faz reunião para 1000 pessoas, mas somente 60 eleitores aparecem.

Agenda do candidato ao governo em Dourados foi um verdadeiro fiasco, com reuniões sem público e nem mesmo com a presença de secretário da prefeita Délia Razuk e com vice do município o ex-juiz consegue empolgar os douradenses.



Se depender dos apoiadores douradenses, o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT) vai continuar desfrutando da aposentadoria de marajá como ex-magistrado da Justiça Federal. A agenda que o amigo do bicheiro Jerson Domingos realizou quarta e quinta-feira em Dourados foi um indicativo das dificuldades que o ex-juiz vai encontrar na campanha pelo interior de Mato Grosso do Sul. A sensação é que o ex-magistrado estava mais preocupado em tentar emplacar a candidatura do filho Odilon de Oliveira, que é vereador em Campo Grande, para deputado federal do que em angariar apoio para a própria candidatura. Odilon Filho, por exemplo, avançou sobre lideranças que já estavam acertadas com o deputado federal Dagoberto Nogueira, presidente da Executiva Estadual do PDT e que é candidato a mais um mandato.


Apesar dos esforços do secretário municipal de Comunicação, Albino Mendes, um dos coordenadores da campanha vitoriosa de Délia Razuk e ex-presidente da Executiva Municipal do Partido da República, a reunião na noite de quarta-feira, na residência localizada à Rua Cornélia de Souza, nº 87, Jardim Mato Grosso, foi prestigiada por poucos gatos pingados. O encontro com representantes rotarianos, da OAB e do Sindicato do Comércio no Rotary Clube Guaicurus, também na noite de quarta-feira, foi outro fiasco que chegou a dar dó.


O périplo do ex-juiz pelos veículos de comunicação durante toda quinta-feira não repercutiu, com as matérias rendendo pouco justamente em razão da falta de propostas do pedetista. O balde d’água foi jogado na agenda organizada na noite de ontem pelo servidor nomeado Junior Bitencourt, no Salão de Festa dos Vicentinos, localizado à Rua Antônio Luiz Marra, 2475, no Izidro Pedroso. Na agenda divulgada pela coordenação de campanha de Odilon de Oliveira a informação era que o encontro no salão dos Vicentinos iria reunir 1.000 pessoas ávidas por ouvir o que o pedetista teria a dizer, mas apenas 60 eleitores apareceram.


O fracasso da agenda de Odilon de Oliveira em Dourados comprova a péssima escolha que o pedetista fez na seleção do vice. Se tivesse moral entre a própria comunidade evangélica que comanda, o bispo da Igreja Sara Nossa Terra, Marcos Antônio Camargo Vitor, antigo aliado de figuras exponenciais presas e denunciadas pelas Operações Owari e Uragano, da Polícia Federal, teria levado público, pelo menos, no encontro de ontem à noite.


Outro erro da coordenação da campanha de Odilon de Oliveira foi excluir os pedetistas de Dourados da organização da agenda de dois dias na cidade. O vereador Romualdo Ramin, presidente da Executiva Municipal do PDT, não foi convidado para definir as reuniões e apareceu aos encontros apenas para marcar território. O secretário municipal de Saúde, Renato Vidigal, um dos principais incentivadores da candidatura própria do PDT ao governo do Estado, não recebeu um único telefonema convidando para a agenda de Odilon de Oliveira.


O entendimento das lideranças políticas de Dourados é que com Albino Mendes participando das agendas de campanha do candidato Odilon de Oliveira, mesmo com o PR coligado com o MDB da candidata turista Simone Tebet, o governo municipal de Dourados está fazendo jogo duplo. Uma ala da prefeitura apoia um candidato, outra ala apoia outro e uma terceira ala fica com outra candidatura, ou seja, a regra é acender uma vela para cada santo.

Fonte: RB News


Comentários