Dagoberto do PDT(MS) partido de Ciro gomes codinome sardinha, foi o parlamentar que mais gastou dinheiro público.

Dagoberto do PDT(MS) partido de Ciro gomes codinome sardinha, foi o parlamentar que mais gastou dinheiro público.

Dos oito deputados federais de Mato Grosso do Sul, Dagoberto Nogueira (PDT) foi o que mais gastou com cota parlamentar durante o ano passado. Ele utilizou quase meio milhão de reais ou R$ 512.045,71 para gastos com passagens aéreas; telefônia; serviços postais; fornecimento de alimentação ao parlamentar; hospedagem; entre outros. Juntos, os oito parlamentares gastaram R$ 3.721.314,64 do dinheiro público. Agora ministro da Secretaria de Governo, o deputado federal licenciado Carlos Marun (MDB) foi o segundo que mais gastou verba parlamentar. Ele usou R$ 489.144,65 em junho quando ele efetuou despesa de R$ 50.973,76 com divulgação da atividade parlamentar.


Este item não possui muito detalhamento e é o mais utilizado pelos parlamentares para especificar seus gastos com a cota parlamentar. Em terceiro lugar como um dos que mais gastaram, Vander Loubet (PT) usou em outubro, R$ 70.048,65, dos R$ 481.658,33 da verba despendida no ano todo, para divulgação de seu trabalho como deputado.


Elizeu Dionízio do PSDB, consumiu R$ 473.410,59 do dinheiro público em 2017. A verba destinada para uso do exercício parlamentar foi mais empregada no mês passado. Dos R$ 52.452,62, ele utilizou R$ 31.198,00 para propagandear suas ações parlamentares. Seu colega de partido, Geraldo Resende dispendiou R$ 458.970,03 da cota no exercício de 2017.


Do DEM, Luiz Henrique Mandetta também teve o maior gasto destinado para veiculação de seu trabalho em Brasília. Ao todo, ele gastou R$ 461.277,91. Destes, ele utilizou a maior parte em abril: R$ 55.156,86. Assim como os outros parlamentares, grande parte do valor consumido neste mês, R$ 31.100,00 foi para divulgação.


O mês de outubro para José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, teve a maior despesa da cota parlamentar consumida no ano todo. Foram R$ 54.970,98, gastos com divulgação. O total da verba utilizada pelo petista no ano passado chegou a R$ 446.447,23.


Diferentemente dos colegas de Legislativo, Tereza Cristina (DEM) usou boa parte dos R$ 427.120,25 dispendidos num período de 12 meses com passagens aéreas. Só em junho ela utilizou R$ 11.632,79 com emissão de bilhetes aéreos. Este também foi o mês que ela mais gastou: R$ 42.786,54. TopMídia.



Ciro Gomes codinome Sardinha


presidenciável Ciro Gomes (PDT) aparece na lista de propina da Odebrecht com o apelido “Sardinha”. Segundo matéria da Folha de S. Paulo deste sábado (30), não há informações sobre repasses ligados ao codinome. Mas o nome do FG está lá, junto, por exemplo, com o do presidente Michel Temer, chamado de “Sem medo”.


O Ceará News 7 já havia noticiado que Ciro está envolvido em escândalo do Consórcio do Porto do Pecém — daí talvez o nome “Sardinha”. O grupo Tecer, dono da Termaco, que dá as cartas no empreendimento, pagou palestra do pedetista com dinheiro repassado pela Marquise. A empresa de José Carlos Pontes, unida com Ivaí e Queiroz Galvão, era a responsável pela construção do empreendimento na gestão do ex-governador Cid Gomes.


Também vale lembrar que a Marquise, por meio de lobby de Cid, fez parte do cartel “Tatu Tênis Clube”, responsável pelas obras do metrô do Ceará. E — vejam só — quem era a empreiteira mais forte que comandava o grupo? Odebrecht.


Basta ligar os pontos: Odebrecht – Marquise – Cid Gomes – Ciro Gomes.


Ciro muito bravo


Segundo a Folha de S. Paulo, Ciro disse que “quem quer que se aventure a me envolver nisso será processado”.


Ciro Gomes estrebucha como peixe fora d’água.


Resultado de imagem para fotos de ciro sardinha


Comentários