Cacique do PDT ameaça deixar presidência e cria crise na campanha de Odilon.

Cacique do PDT ameaça deixar presidência e cria crise na campanha de Odilon.

O presidente do PDT de Mato Grosso do Sul, João Leite Schimidt, anunciou sua intenção de deixar a direção do partido. Segundo apurou o site Campo Grande News, ele já teria oficializado a ideia em uma carta de renúncia à legenda. 


Contudo, dentro do partido, o possível afastamento é tratado com naturalidade, de acordo com o vice-presidente e deputado federal Dagoberto Nogueira. O assunto já estava sendo avaliado por integrantes da sigla, sob a alegação de que o controle nas mãos do parlamentar ajudaria em sua reeleição. 


 

Schimidt, no entanto, não deve deixar o PDT. A crise teria sido desencadeada por descontentamento do dirigente com a condução da campanha do juiz federal aposentado, Odilon de Oliveira, ao governo do Estado.

A reportagem tentou falar com o dirigente neste sábado (dia 30), mas as ligações não foram atendidas. Também fomos à sede do partido, porém o local estava fechado.


Fontes do partido dizem que grupos ligados ao juiz estariam tentando convencê-lo a desistir de candidatura ao governo e disputar uma das vagas para o Senado.


Outro descontentamento de Schimidt estaria na forma como a campanha está sendo conduzida e no discurso do pré-candidato ao governo.


O vice-presidente do PDT, deputado federal Dagoberto Nogueira, disse ao Campo Grande News que vai conversar com o atual dirigente até segunda-feira. A ideia é tentar convencê-lo de desistir da ideia de se afastar da direção.


Comentários