Bolsonaro: É uma falácia dizer que a Amazônia é patrimônio da humanidade

Bolsonaro: É uma falácia dizer que a Amazônia é patrimônio da humanidade

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) abriu, nesta terça-feira (24), os discursos da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que está acontecendo neste momento em Nova York. Em sua fala, ele voltou a defender a soberania da Amazônia e atacar – em referência ao presidente da França, Emmanuel Macron – o “espírito colonialista” de países estrangeiros em relação ao Brasil.

“Os ataques sensacionalistas que sofremos por grande parte da mídia internacional despertaram nosso sentimento patriótico. É uma falácia dizer que a Amazônia é um patrimônio da humanidade e um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a Amazônia, a nossa floresta, é o pulmão do mundo. Valendo-se dessas falácias um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa e com espírito colonialista. Questionaram aquilo que nos é mais sagrado, a nossa soberania”, disse.

Sem citar o nome de Macron, Bolsonaro falou sobre a polêmica em que se envolveu com o chefe de Estado, que chamou a floresta amazônia de “nossa casa” durante o encontro do G7 e sugeriu que era preciso que as nações estrangeiras intervissem no assunto. “Um deles, por ocasião do G7, ousou sugerir aplicar sanções ao Brasil sem sequer ouvir o nosso lado. Quero reafirmar minha posição de que qualquer iniciativa de apoio à Amazônia e outros biomas deve ser tratado em pleno respeito à soberania brasileira”, continuou.


Comentários