A Mídia esquerdista brasileira começa a caça ao Bolsonaro.

A Mídia esquerdista brasileira começa a caça ao Bolsonaro.

O ano de 2018 mal começou e a caçada pela derrubada do nome do Bolsonaro está a todo vapor pela Mídia.


Nesta semana, o Deputado e pré-candidato à presidência, que aparece em segundo lugar nas pesquisas eleitorais, foi alvo de críticas, ataques e matérias mal intencionadas dos veículos tradicionais de notícias (que sempre foi algo esperado). Porém, a surpresa veio quando a jornalista Rachel Shererazade disparou críticas ao Deputado, a então considerada como um dos poucos nomes de direita na mídia – o público ficou impressionado e, como muitos afirmaram, decepcionados.


Folha de São Paulo ataca Bolsonaro, por ser um risco para a esquerda.


A Folha publicou uma matéria intitulada “Patrimônio de Jair Bolsonaro e filhos se multiplica na política”.


O primeiro parágrafo registra o seguinte:


“O deputado e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e seus três filhos que exercem mandato são donos de 13 imóveis com preço de mercado de pelo menos R$ 15 milhões, a maioria em pontos altamente valorizados do Rio de Janeiro, como Copacabana, Barra da Tijuca e Urca.”


Gustavo Bebianno, advogado e assessor de Jair contesta a Folha:


“O Jair diz que a defesa dele é o próprio parecer do Procurador da República Janot. Mas que não adianta, a Folha tem essa postura. Como individualmente, não há nada contra eles, o jornal os trata como ‘Os Bolsonaros’: junta o patrimônio de quatro pessoas para fazer um bolo só e tentar fazer parecer aos olhos do leitor que se trata de um patrimônio enorme. É ridículo.”


Em seguida, o próprio Jair lamentou que a Folha passe a impressão de que os imóveis eram extraordinários no momento da compra em razão exclusivamente dos bairros onde se encontram.


Lembrou o caso em que, questionado se tinha um imóvel em Angra dos Reis, confirmou a informação ao repórter e pediu que fosse visitá-lo para verificar suas condições. Quando voltou, o repórter havia desistido de fazer a matéria e ainda brincou que o deputado a usaria a seu favor.



Mas não parou por aí, outros jornalistas também não perderam a chance de fazer seus ataques. Marco Antônio Villa, da VEJA, voltou a atacar Bolsonaro; Vera Magalhães, também deu sua opinião afirmando que nenhum político merece ser chamado de “mito” (ela parece não saber o porquê nem como esse termo acabou fazendo sucesso com o capitão). Além disso, outros grupos que se dizem de direita, não param de tentar reduzi-lo – MBL, ILISP e a Caneta  Desesquerdizadora são exemplos -.


Bolsonaro já está sentindo na pele o que está reservado para ele ao decorrer de todo desse ano, e como mais intensidade durante a campanha eleitoral. Para a sorte do Deputado, e o desespero de quem o ataca, a resposta para essa onda de ataques não veio dele, mas de seus apoiadores. Hoje – 11/01/18 – a sua página no Facebook bateu o número de 5 milhões de seguidores – reforçando a tese de que quanto mais batem, mais ele cresce.


Bolsonaro e seus eleitores terão que trabalhar muito se quiserem vê-lo presidente em 2019. É um homem contra um império chamado establishment. 


Comentários