General cita caso Marielle e pede 'respostas' sobre facada contra Bolsonaro.

General cita caso Marielle e pede 'respostas' sobre facada contra Bolsonaro.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, cobrou das autoridades respostas a respeito das investigações do atentado a faca contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante a campanha eleitoral de 2018.


As informações são do blog da jornalista Andrea Sadi, no portal G1.


Ao ser questionado se considerava positiva obter uma resposta no caso Marielle – nesta terça (12), foram presos dois suspeitos de matarem a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes -, Heleno afirmou que “todos nós estamos esperando uma resposta, não só deste caso, como da facada em Jair Bolsonaro”.


O ministro ainda afirmou ao blog que não tem informações suficientes para comentar a qualidade das prisões dos dois PMs acusados de envolvimento na execução de Marielle.


ATENTADO A FACA


O ataque a Bolsonaro citado por Heleno aconteceu no dia 6 de setembro de 2018, durante um ato de campanha no centro da cidade de Juiz de Fora, na zona da mata de Minas Gerais.


O então candidato era carregado por apoiadores quando foi atingido por Adélio Bispo de Oliveira com uma faca. Após o ataque, o presidenciável foi retirado do local e levado à Santa Casa.


Foi revelado que ele havia sido filiado ao PSOL entre 2007 e 2014. No dia da agressão, a Câmara dos Deputados, em Brasília (a mais de 1000km de Juiz de Fora), registrou erroneamente a entrada de Adélio no local em duas ocasiões.


Dois inquéritos foram abertos pela PF (Polícia Federal) para apurar a responsabilidade de Adélio no atentado a faca. 


Comentários