LUTADORA DE VALE TUDO ENFRENTA ADVERSÁRIA TRANS E MORRE, FAMÍLIA ENTRA EM DESESPERO.

LUTADORA DE VALE TUDO ENFRENTA ADVERSÁRIA TRANS E MORRE, FAMÍLIA ENTRA EM DESESPERO.

Durante a luta, Shang sofreu uma série de golpes durante a luta, porém, o árbitro só encerrou o combate quando a malasiana estava completamente desacordada no ringue."É com incrível tristeza e dor no coração que informo a morte de Shang hoje. Ela foi cercado por sua família, ouvindo suas músicas favoritas. Iremos sentir muito a falta dela", escreveu a irmã de Shang, Moa Lin Mau Bi.



O Cômite Esportivo Malasiano foi duramente criticado por ter autorizado a luta contra uma adversária transsexual, familiares afirmam que Shang aceitou a luta porque foi ameaçada de ser retirada do Vale Tudo local por preconceito.

Os críticos também esqueceram que o Comitê Esportivo Internacional (ainda) exige que, para competir, mulheres trans ou travestis passem pela hormonioterapia (com estrogênios ou bloqueadores) e que, assim, reduzam o nível de testosterona até menos que o de mulheres cis e tornem mais aptas para competir ao lado delas. 

Nas novas diretrizes do COI, mulheres trans atletas podem competir depois de 12 meses de tratamento hormonal, passar por testes de hormônios, que devem apresentar testosterona abaixo de 10 nmol/L. Não é mais obrigatório que as atletas passem pela cirurgia de readequação sexual (genital). Mas elas devem declarar seu gênero feminino e não "mudar de ideia, por razões esportivas", durante quatro anos.


Comentários