Vereadora Cida Amaral é acusada de falsidade ideológica em Campo Grande

Vereadora Cida Amaral é acusada de falsidade ideológica em Campo Grande

Novas acusações pesam contra a vereadora Cida Amaral, que deixou o Podemos para migrar para o PROS, sem que houvesse janela partidária para vereadores. A parlamentar pode ser acusada até de falsidade ideológica, uma vez que teria agido supostamente de má-fé ao deixar o partido.


Segredo
Pessoas ligadas ao Podemos revelaram que Cida teria deixado a sigla em oito de janeiro deste ano, mas só comunicou a Justiça Eleitoral e o Podemos 56 dias depois da desfiliação. Há quem diga que a parlamentar teria agido na filha da $#@#@ mesmo, uma vez que, após a desfiliação, pela lei, o partido tem 30 dias para pedir a vaga e mais 30 dias para o suplente [Silvio Mori] ou MPE pedir a vaga. Neste caso, a parlamentar teria esperado prescrever o prazo para só então comunicar a sua saída.


Falsidade
Durante este período, a parlamentar pode responder por crime de falsidade ideológica, já que continuou com as suas atividades, apresentando-se como membro do partido, inclusive homenageou o principal nome da sigla, Álvaro Dias, bem como assinou documentos para indicações, requerimentos e projetos na Câmara Municipal.


Advogado 
O advogado dela é chefe de gabinete. Há quem fale em improbidade administrativa e dizem que não pode. Não é ilegal, mas pode ser imoral...


Dívidas
A parlamentar acusa o partido de dívidas, mas daí fica um questionamento. "Que partido não tem dívidas?” E fora isso, ela é considera infiel ao partido, uma vez que os repasses para o Podemos não seriam de 5% como disse, mas sim de 10%, previsto no estatuto de qualquer partido.


Problemas de gênero
A parlamentar alega que não teria espaço por ser mulher no partido.  Porém, os integrantes do partido rebatem e afirmam de início, a presidente nacional do Podemos é uma mulher. 'Aqui ela foi convidada para ser presidente municipal, e não quis e nunca fez nada para as mulheres do partido'.

Fonte: Top Mídia


Comentários